Barra Brava:Geral Do Grêmio (GDG)

A Geral do Grêmio é uma torcida nos padrões barra brava da América do Sul que apoia o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Foi criada em 2001, tendo sido a primeira nestes moldes do Brasil. Já foi conhecida, erroneamente, pelo nome de Alma Castelhana.

A Geral do Grêmio é uma torcida de livre adesão, o que significa que não cobra mensalidade, não possui uniforme e nem controle de quem participa, e conta com as mais variadas faixas (barras), bandeiras e trapos (panos pendurados que exaltam o time e seus ídolos) que são confeccionados e colocados no estádio pelos próprios torcedores. A torcida usa seus instrumentos e suas músicas para incentivar o clube, mesmo quando está perdendo, outra característica herdada das torcidas latinas.

A Geral do Grêmio foi a precursora dos movimentos barra brava no Brasil. Influenciados por ela, surgiram dezenas de outros movimentos de torcedores de grandes clubes de futebol brasileiros. Seus cânticos são, em grande parte, adaptados de ritmos famosos na Argentina e Uruguai, assim como fazem as torcidas destes respectivos países. São, também, adaptações de músicas gaúchas famosas, como “Eu sou do Sul” e “Bebendo Vinho”. A torcida costuma se posicionar atrás do gol, à direita das cabines de imprensa.

A torcida é vista como sendo muito violenta, especialmente após o episódio ocorrido no Gre-nal 366, quando torcedores incendiaram banheiros químicos no Estádio Beira-Rio (estádio do seu rival Internacional). Vários outros episódios extra-campo colaboraram para esta visão, a maioria deles confrontos com a Guarda Popular do Inter, certamente a maior rival.

Aliadas:

Torcida Uniformizada Do Palmeiras (TUP)

La Banda del Parque-Nacional (URU)

Torcida Organizada Galoucura (TOG)

Império Alviverde (IAV)

Guerreiros do Almirante (GDA)

Força Jovem do Vasco (VAS)

Fúria Jovem do Botafogo (FJB)

Força Jovem do Goiás (FJG)

Hoje, a Geral do Grêmio é muito mais que uma torcida organizada, já que movimenta muitos torcedores, não apenas das arquibancadas, como também dos outros setores do estádio. Os atos violentos diminuíram consideravelmente, depois que alguns torcedores responderam inquérito policial, e se afastaram da organização das atividades, para não prejudicar tanto a torcida como o clube. Dentro do próprio estádio, existem algumas divergências entre as torcidas. Recentemente, um grupo de torcedores migrou para o outro lado do estádio, criando uma espécie de dissidência, auto-intitulada ‘Velha Escola’.

Um dos fatos curiosos que acontecem é que a cada gol que o Grêmio faz, a torcida da Geral do Grêmio vai despencando pela arquibancada abaixo. Esse tipo de comemoração é a avalanche tricolor que é feita sempre no Estádio Olímpico Monumental.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: